24 de janeiro de 2015

Eles Merecem Melhor!

Eles Merecem Melhor!

Gatinha de rua 

Já começou a época mais temida pelos protectores de gatos de rua. Muitas fêmeas estão a começar o primeiro período de cio do ano e, dentro de dois meses, a partir de meados de Março, vão começar a aparecer as primeiras de milhares de ninhadas de gatinhos que nascerão continuamente até ao início do Outono. Sim, milhares... Infelizmente, todos os anos, com pico entre o final da Primavera e início do Verão, milhares e milhares de ninhadas de gatinhos nascem nas ruas de todo o país.
Ao longo destes meses, as associações e os protectores (que, em situações normais, já trabalham no limite da sua capacidade devido à extrema falta de recursos) ficam ainda mais sobrecarregados com esta “inundação” de gatinhos órfãos ou doentes e também os canis/gatis municipais se enchem de bebés, sendo que muitos deles nunca terão a oportunidade de ser adoptados.
 Gatinhos numa jaula 

Contudo, a maioria dos bebés destas ninhadas fica desprotegida nas ruas. E é nas ruas que muitos gatinhos morrem após poucos meses de vida, por doença, falta de alimento, atropelamento... Muitos destes bebés desprotegidos são vítimas fáceis da coriza, uma doença contagiosa muito comum em gatinhos de rua e que, sem tratamento adequado, pode conduzir à cegueira ou mesmo morte. Aos bebés que sobrevivem às primeiras adversidades e crescem na rua, espera-os uma vida árdua de fome, desamparo, doenças e sofrimento. E também eles vão acabar por se reproduzir e, dessa forma, gerar ainda mais animais sem protecção nas ruas.
Gatinho doente

Tudo isto não acontece por acaso nem tão-pouco se pode explicar pela maldade de uns quantos que abandonam animais à sua sorte. Muitas destas ninhadas são resultado da procriação entre gatos que já vivem na rua, mas muitas outras ninhadas são descendentes directas de gatos que saem de casa para ir “dar a sua voltinha”. É crucial compreender que tudo isto acontece por causa da nossa negligência generalizada ao deixarmos os animais passearem sozinhos e permitir que procriem. Os gatos que vemos sofrer e morrer nas nossas ruas são os filhos dos gatos não esterilizados que saem de casa para ir “dar a sua voltinha, porque é assim que são felizes”, são os seus netos, os seus bisnetos, os seus trisnetos, etc. Saiba um pouco mais aqui. Deixar um animal não esterilizado passear sozinho é contribuir directamente para o sofrimento de muitos outros e contribuir para agravar o já extremo problema de superpopulação de animais de companhia. É mais que tempo de assimilar que praticamente todos os animais de rua fazem parte da primeira, segunda, terceira, quarta ou enésima geração de descendentes directos de animais que alguém deixou passear livremente.
Cabe a cada um de nós contribuir para mudar esta realidade. Estes bebés inocentes não merecem uma vida assim! 
 Gatinhos doentes

Faça a Sua Parte!

Agora que sabe da realidade, ajude a transformá-la. Ajude a reduzir o nascimento de animais que terão uma vida e morte sofridas.

  • Esterilize os seus gatos (ou cães!) e jamais os deixe saírem sozinhos de casa sem estarem esterilizados. Não permita que o seu gato (ou cão!) contribua para o nascimento de bebés desamparados. Uma única saída pode ser o quanto basta, não facilite! Não permita que a sua gata (ou cadela!) procrie. E não, não basta “arranjar bons adoptantes” para os filhotes. A menos que garanta que todos os filhotes da sua gata serão esterilizados atempadamente (por volta dos 5 meses), é quase certo que, mais tarde ou mais cedo, também eles irão reproduzir-se e dar origem a mais e mais e mais gatos... É um círculo vicioso que tem de ser quebrado. Mas esta não é a única consideração importante a ter. Informe-se melhor aqui. Para esterilizar o seu animal, informe-se junto das associações da sua zona sobre a existência de veterinários com esterilizações de qualidade a preços mais acessíveis (pode consultar aqui uma lista de associações nacionais)                
  • Sensibilize a sua comunidade (os seus familiares, amigos, colegas, vizinhos) para as graves consequências de deixar animais, sobretudo não esterilizados, saírem sozinhos. Saiba tudo aqui.
  • Colabore activamente com a sua associação local na protecção e esterilização de animais que vivem na rua. Encontra aqui uma lista de associações nacionais, distribuídas por distrito/concelho. A Associação Animais de Rua actua sobretudo na esterilização de gatos de rua. Informe-se sobre a existência de núcleos na sua zona.
  • Se tiver condições e estiver ciente das responsabilidades e dos desafios inerentes, voluntarie-se para ser família de acolhimento temporário (FAT) de gatinhos órfãos, aliviando assim um pouco a sobrecarga de trabalho de associações e protectores. 

    Gatinho de rua
    Fonte: Associação Pelos Animais
    Eles Merecem Melhor! :: Encontra-me.org

Sem comentários:

Enviar um comentário

"A compaixão pelos animais está intimamente ligada a bondade de carácter,

e pode ser seguramente afirmado que quem é cruel com os animais não pode ser um bom homem."

.

Arthur Schopenhauer